Clique para Ouvir Peça sua música

“Só suportei sete Fazendas para poder pagar as contas”, diz Britto Jr.


“Só suportei sete Fazendas para poder pagar as contas”, diz Britto Jr.

Depois de sete anos, finalmente, Britto Jr. resolveu fazer um balanço de sua experiência à frente do reality show “A Fazenda”, que apresentou desde a estreia, em 2009, até o final da sétima edição, em 2014.

Encerrado o seu contrato com a Record em dezembro de 2016, depois de um ano sem ser chamado para nenhum trabalho importante, Britto Jr. se sente agora mais à vontade para falar do programa que o marcou tanto. E o pretexto para estas primeiras declarações foi um texto que publiquei nesta segunda-feira (13) no UOL, sobre o papel de Tiago Leifert no comando do “BBB17”. Descrevi como o novo apresentador influencia o jogo com opiniões para o público e dicas aos brothers.

Britto, então, escreveu no Twitter: “Agora, pense num reality similar em que o apresentador era ‘proibido’ de interagir livremente com os participantes. Por tentar, fui repreendido, censurado, xingado, boicotado. Aguentei o diretor-censor até o ponto em que se tornou insuportável. Por isso, resolvi sair”.

Procurado para que explicasse melhor o que quis dizer com os seus comentários no Twitter, o ex-apresentador da “Fazenda”, então, fez novas críticas a Rodrigo Carelli, o diretor do programa.

“Este diretor nunca me perguntou se eu concordava com as decisões dele, em reuniões fechadas de sua equipe para as quais nunca fui chamado. Lembra do programa em que eu pedi no ar que alguém parasse de gritar no ponto? Era ele, como sempre fazia, recitando bobagens no meu ouvido para que, assim, eu não pudesse ouvir o que os participantes diziam”, diz Britto, referindo-se a este episódio aqui, ocorrido em 2014: Enigma na “Fazenda”: quem gritou com Britto Jr ao vivo?

O apresentador afirma, ainda, que nunca teve apoio da direção da Record, apesar de apelos insistentes. “Várias vezes eu comuniquei aos diretores da emissora na Barra Funda da minha insatisfação sobre tudo isso, mas eles, como sempre perdidos, sequer se davam ao trabalho de ir até lá para ver de perto, interferir ou me dar algum tipo de apoio”. E acrescenta: “Tentaram com o Faro (“Fazenda de Verão”), foi a mesma coisa. Com o Justus, então…”

Por fim, Britto afirma que sofreu “bullying” durante o trabalho no reality show. “Só suportei sete Fazendas, inclusive acumulando a apresentação do ‘Programa da Tarde’ em duas temporadas para poder pagar as contas. Só volto a TV quando me oferecerem algo que me deixe entusiasmado, feliz. Bullying como este, nunca mais”.

O blog segue tentando falar com Rodrigo Carelli e a Record a respeito.

 

UOL

comments powered by Disqus